Um exame que identifica a capacidade respiratória e ajuda no diagnóstico de doenças pulmonares estará disponível para a população durante esta sexta-feira (7), no Busto de Tamandaré. A expectativa é de que 500 pessoas passem pela 'expirometria' durante um evento promovido para marcar o dia contra o tabagismo. O alvo são fumantes ativos e passivos, especialmente aqueles a partir de 40 anos, e a proposta é alertar para o risco de Doenças Pulmonares Obstrutivas Crônicas (DPOC), que incluem enfizema, asma brônquica, bronquite crônica, fibrose cistica e outras.
De acordo com o médico pneumologista Alfredo Fagundes, a 'expirometria' é “o eletrocardiograma do médico pneumologista”. Segundo a Organização Mundial da Saúde, apenas 12% das pessoas que têm DPOC estão devidamente diagnosticadas. Com o atraso no diagnóstico, o sucesso do tratamento é reduzido. “Muita gente procura um cardiologista quando sente que algo está errado e demora a chegar ao médico especialista, o que atrasa o tratamento”, alerta Alfredo.
O exame é simples e funciona como o bafômetro: é um exame de sopro, feito com a pessoa sentada. O equipamento analisa a capacidade pulmonar e auxilia na avaliação clínica do paciente. De acordo com Alfredo, é a junção do resultado do exame com uma análise do quadro do paciente que leva a um diagnóstico.
Os exames serão realizados durante o Fórum Inspire Expire, promovido por uma clínica especialista em pneumologia de João Pessoa e um laboratório internacional, que também vai distribuir 100 mudas de plantas. “A proposta é que para respirar melhor é preciso ter mais árvores”, justifica. Quem receber as mudas será cadastrado para que o plantio seja monitorado. A programação começa às 5h30 com café da manhã para o público e um concerto da Orquestra 5 de Agosto, além de distribuição de brindes.
“A ideia é convencer as pessoas a pararem de fumar porque o tabagismo pode provocar até gastrite”, resume o médico. Ele justifica a proposta lembrando que a previsão da OMS é que até 2030 as doenças causados pelo fumo sejam as que mais matarão pessoas no mundo.