sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Nasci em uma cidade simplória - meu MAMANGUAPE QUERIDO

Nasci em uma cidade muito simplória, interiorana, no estado da Paraíba, minha querida Mamanguape, lugar onde a dignidade, o respeito, a lealdade, a prudência, a paciência, o caráter; esses requisitos, eram a célula mais acolhida e, vivenciada pelo povo simples e sofrido da minha terra.

Lá, era uma verdadeira cátedra de elegância, lugar aonde cantava a vida em verso, os lares viviam apaixonadamente, era uma escola de fidelidade, um conserto de amor a vida.

As noites, os casais faziam juras e, provas de amor ao som da melodia do universo, onde a lua e as estrelas eram as únicas confidentes e, presentes dos corações apaixonados.

Minha casa era simples, mas meus pais (Alfredo e Albertina), se amavam verdadeiramente, deixavam em nós, a sua identidade na intensidade do seu amor infinito, na sua vida a dois, a família. Deslumbrei, descobri, vi a presença de Deus na construção do seu testemunho.

Sou filho deste casal apaixonado, o ícone do meu viver, de toda a minha existência, o meu arauto, meu melhor conselheiro, o meu eterno referencial; com eles, aprendi as lições da vida, que eu guardo como relicário da minha existência.

A meus pais, todo o meu reconhecimento.


Prece a meu Pai

“REVIVENDO O QUADRO DE MINHA VIDA,
PILOTANDO NAS PÁGINAS ETERNICIDAS
DAS VERDADES QUE JAMAIS SE DESFAZ.
MERGULHO O MEU SER NO INFINITO
E, NO OCEANO DA SAUDADE EU FICO
COM A LEMBANÇA DE VOCÊ, MEU PAI!”


Prece a minha Mãe

“MÃE, BENDITA SEJAS TU ! SANTUÁRIO DA BONDADE,
TESTEMUNHO DA VERDADE, RAZÃO DE TODO MEU SER.
CELULA QUE ME FEZ NASCER, LIÇÃO DE DIGNIDADE,
EXEMPLO PARA HUMANIDADE; MÃE, ADORO VOCÊ!”